Instituição

        A Faculdade Metropolitana de Marabá, criada em 2005, é mantida pelo Centro de Ensino Superior de Marabá. Recebeu do Ministério da Educação o credenciamento e a autorização de funcionamento no dia 18 de dezembro de 2006, por meio da Portaria nº 1.966, publicada no Diário Oficial da União na mesma data.

        A instituição tem por objetivo oferecer educação de qualidade e de excelência, primando por utilizar os mais modernos recursos das ciências da educação para desenvolver os seus processos de ensino e aprendizagem. Para tanto, o projeto pedagógico da Faculdade Metropolitana está pautado em uma concepção moderna e arrojada de educação, que supera a visão tradicional. A prática pedagógica aqui desenvolvida dá ênfase não à simples “transmissão-recepção” do saber, mas ao desenvolvimento de competências e habilidades que os seus estudantes são encorajados a aperfeiçoar. Nesse sentido, a Faculdade Metropolitana privilegia as “metodologias ativas”, que são o que há de mais moderno em termos de concepção de ensino e aprendizagem. As metodologias ativas levam à superação do antigo paradigma educacional, pautado na atitude passiva do estudante diante da aula. A velha aula, em que o professor fala e o aluno simplesmente ouve, deve dar lugar às “oficinas de aprendizagem”, com ênfase nos processos de aprendizagem colaborativa, na participação ativa de todos e na autonomia dos estudantes.

         Para realizar seu projeto pedagógico, a Faculdade Metropolitana adota quatro princípios fundamentais, que norteiam as suas ações em todos os âmbitos institucionais. Esses princípios são:

 1. NÃO BASTA SABER, É PRECISO SABER FAZER.

        Isso significa que o saber, como aquisição intelectual, deve avançar um passo além da simples “teorização”, transformando-se em prática profissional e em experiência de vida correspondentes.

 2. CADA PESSOA TEM QUE CONSTRUIR A SUA HISTÓRIA.

        Trata-se da importância da autonomia e da responsabilidade pessoal diante da própria vida, da formação e do desenvolvimento profissional de cada estudante. A mensagem é clara: “Ninguém fará por você, se você mesmo não se dispuser a fazer”.

 3. FORMAR EMPREENDEDORES.

        A oportunidade de estudar, sobretudo em nível de ensino superior, deve favorecer o desenvolvimento de líderes e de pessoas empreendedoras, criativas, abertas ao novo, interessadas em desbravar caminhos inéditos na vida pessoal e profissional.

 4. A NEGOCIAÇÃO COMO PARADIGMA DO RELACIONAMENTO HUMANO.

        Para além das meras relações burocráticas, as relações humanas devem ser orientadas pela capacidade de diálogo, de escuta, de argumentação, sempre inspiradas no bom senso. O objetivo comum deve ser a solução amigável dos desafios e a minimização dos conflitos.

Tempos Heroicos: breve história das origens da Faculdade Metropolitana de Marabá

         Era o dia 2 de janeiro de 2005. O fundador da Faculdade Metropolitana estava em casa, na praia. Bate à porta um cidadão que mostrou as credenciais de advogado de uma Instituição de Ensino Superior em Marabá que tinha problemas com o MEC e com a Promotoria Pública. Esse advogado tinha recebido informações de que havia uma pessoa, chamada Prof. Tafner, capaz de resolver esse problema. Ofereceu passagens e estadia para visitar a Instituição. O Prof. Tafner, como já tinha alguma experiência na criação de Faculdades, ou seja, mais de uma dezena em Santa Catarina e em outros estados, inclusive, em Rondônia, na cidade de Rolim de Moura, onde criou a FAROL, aceitou o convite.

         Chegando a Marabá, em fevereiro, naquela pseudo-faculdade, já com algumas informações em mãos, colhidas junto ao MEC, encontrou instalações e uma organização totalmente inadequadas para um ambiente universitário. Naquele momento, acreditou na inocência e ignorância de quem criara e comandava a instituição, de forma totalmente irregular. Não escondeu, entretanto, nem a essa pessoa e nem aos estudantes que a Instituição era irregular e não podia continuar assim. A proprietária e responsável pela Faculdade afirmou e dizia aos acadêmicos que tinha uma franquia de outra instituição do Ceará, essa também totalmente irregular, sem nenhum registro junto ao MEC. 

        Num determinado momento, por solicitação judicial, com a presença da Promotoria, do PROCON, da Presidência do Fórum de Marabá, dos acadêmicos e da proprietária da Faculdade, o Prof. Tafner fez uma detalhada exposição de esclarecimento de como ocorre de fato e de direito o credenciamento de uma Instituição de Ensino Superior. Em seguida, por decisão judicial, extinguiu-se essa “faculdade” e ainda outra, que funcionava nos mesmos moldes, em Marabá.

        Para atender à solicitação de muitos estudantes iniciantes e outros que já estavam há dois anos  estudando, chegou-se  a propor a criação de uma instituição regular, dentro dos trâmites legais. Os estudantes presentes julgavam que isto poderia acontecer de imediato. Foi um desestímulo geral quando foi comunicado que o início poderia ser, se não houvesse nenhum empecilho maior, no segundo semestre de 2006 ou início de 2007, depois de percorridos todos os trâmites legais junto ao MEC.

        No anseio de atender aos estudantes que ali estavam de boa fé, prometeu-se a criação de uma instituição dentro da legislação. Para cumprir a promessa feita e verificando a demanda existente, no dia 7 de abril de 2005 foi criada a Empresa “Centro de Ensino Superior de Marabá”, registrada em Marabá, que se tornou a entidade mantenedora da Faculdade Metropolitana de Marabá.